Blog

Testosterona e risco de câncer de próstata

Homens com hipogonadismo (com níveis de testosterona total menor que 350ng/dL) que receberam terapia de reposição hormonal com testosterona apresentaram menor incidência de câncer de próstata e os que desenvolveram câncer de próstata tiveram formas menos agressivas do que os colegas que não fizeram a reposição hormonal.


Esse é o resultado de um estudo de terapia de reposição de testosterona (TRT) e câncer de próstata, realizado em Bremerhaven, na Alemanha, e apresentados no 18º encontro científico da Sociedade de Medicina Sexual dos EUA. O estudo acompanhou 400 homens em reposição hormonal e 376 homens “controles” por 10 anos - os controles, apesar do hipogonadismo, optaram por não fazer a reposição de testosterona.


Além de menor incidência, no grupo da TRT a detecção do câncer de próstata foi mais precoce em relação aos do grupo controle, o que segundo os pesquisadores sugere que níveis adequados de testosterona auxiliam na deteção precoce de mudanças no PSA, um marcador laboratorial usado para o rastreio do câncer de próstata. Uma vez que níveis mais baixos de testosterona diminuem o PSA, isso pode mascarar a presença já de tumores de próstata, que só serão diagnosticados muito mais tarde e em estágios mais avançados em virtude desses baixos níveis de testosterona.


Esse estudo complementa achados de outros estudos recentes que mostraram o fator protetor da testosterona contra o câncer de próstata, como um estudo conduzido na Universidade de Nova York e publicado no Journal of Clinical Oncology, mostrando também que os homens que receberam TRT apresentaram menor risco de câncer de próstata agressivo.


Fontes:

Haider A, Haider K, Saad F. Prostate cancer incidence and severity in testosterone-treated vs. untreated hypogonadal men: Real-life experience from more than 5500 patients years. Poster presented at the Sexual Medicine Society of North America 18th Fall Annual Meeting in San Antonio, October 26-29, 2017. Poster 131.


Loeb S, Folkvaljon Y, Damber JE, et al. Testosterone replacement therapy and risk of favorable and aggressive prostate cancer. J Clin Oncol 2017;35:1430-1436.